Alternativa Sistemas
Tray
Jet
F1 Commerce
Dooca
APAGE
Nerus

O setor do comércio eletrônico é um dos que mais cresce no país, o que torna a concorrência entre os varejistas online ainda mais acirrada.

Quer vender produtos pela internet, mas precisa aprender como montar um ecommerce? Saiba que entender todas as etapas que envolvem a criação de uma loja virtual é fundamental para o sucesso da sua marca nos canais digitais. 

 Somente nos primeiros oito meses de 2020, o e-commerce brasileiro faturou R$ 41,92 bilhões, um aumento de 56,8% em relação ao mesmo período de 2019, segundo uma pesquisa feita pelo Movimento Compre&Confie em parceria com a ABComm. 

 Para te ajudar nessa jornada, separamos os principais passos para começar a vender online. Continue lendo e aprenda como montar um e-commerce do zero! 

O primeiro passo é entender que tipo de produto deseja vender na internet. Isso porque, cada nicho de mercado possui as suas características e você precisará saber qual o conceito sua loja precisa ter para atrair consumidores.  

 Escolhido o produto, entenda quem são os principais fornecedores do segmento para que você possa negociar preços, prazos de entrega e parcelamento.  

 Com essas questões definidas, inicia-se a etapa para escolher uma plataforma e-commerce, ou seja, o site da sua loja online.  

 Hoje em dia, o mercado oferece desde opções mais simples com recursos básicos e custo baixo até lojas mais robustas e que suportam milhares de visitas diárias.  

 Ainda nesta etapa, será necessário a realização de integrações no seu site, como gateway de pagamento, plataformas de logística, ferramentas de marketing, entre outros. Com todas essas etapas bem-definidas, seu e-commerce estará apto a entrar no ar. 

 Mas calma, nos próximos tópicos vamos te dar dicas detalhadas de como montar um e-commerce partindo do zero. Continue com a gente!  

Veja: Por que você ainda deve investir em e-commerce?

Planejamento do negócio

A primeira etapa para começar um e-commerce do zero é definir a sua estratégia de negócio. Para isso, você deve selecionar o nicho onde vai atuar e os produtos que vai vender, além de fazer um planejamento financeiro. 

Essas definições iniciais são muito importantes, pois vão orientar os demais passos da criação da sua loja. 

Tipos de e-commerce

Para aprender como montar um e-commerce, é importante entender quais são as modalidades de comércio eletrônico existentes no Brasil.  

 O modelo de e-commerce mais comum é o B2C – Business to Consumer –  que faz a intermediação de empresas varejistas e o consumidor final. 

 Há também lojas virtuais na modalidade B2B – Business to Business  – que acontece quando uma empresa vende para outra.  

 Já o modelo C2C Consumer to Consumer – cresceu muito nos últimos anos e ocorre quando um consumidor vende para o outro, seja produtos ou serviços.  

 Nesse segmento existe também a modalidade C2B – Consumer to Business – que é uma relação inversa ao B2C. Nesse modelo, pessoas físicas fazem vendas para pessoas jurídicas.  

 Por fim, o B2A – Business to Administration – que são transações realizadas entre empresas e órgãos públicos, como segurança social, serviços fiscais, entre outros.  

Complete seu conhecimento: Indústria 2022: conheça oportunidades do modelo D2C.

Nicho de atuação e público-alvo

Alimentação, moda, eletrônicos, decoração, beleza… Os nichos de atuação no comércio eletrônico são inúmeros. 

Por isso, faça uma pesquisa de mercado e analise os principais concorrentes. Assim, você conseguirá identificar o produto e o setor que façam mais sentido para sua estratégia. 

O ideal é escolher um segmento que seja do seu interesse e que também possa gerar oportunidades de negócio. Uma dica é buscar tendências do e-commerce em ferramentas, como o Google Trends. Também é interessante buscar um nicho mais específico, de modo a evitar a concorrência de grandes empresas do mercado. 

A partir da seleção do setor de atuação da sua loja, determine e estude também o seu público-alvo, ou seja, o conjunto de consumidores que você pretende atingir. 

Por meio de análises do mercado, conheça o perfil e os principais comportamentos de consumo dessas pessoas. Dessa forma, será possível direcionar suas ações iniciais e atingir os seus clientes ideais. 

Está pensando em montar um e-commerce?

Planejamento financeiro

Uma importante parte da estruturação do seu negócio é o planejamento financeiro. Nessa etapa, você deve definir o investimento inicial para a criação da sua loja e fazer a alocação de todos os custos, como despesas com estoque, logística, marketing e tecnologia. 

Esse também é o momento de fazer a precificação dos seus produtos. Para isso, considere os custos fixos e variáveis da sua operação, a margem de lucro esperada, os preços praticados pelos concorrentes e o valor agregado dos produtos oferecidos. 

A partir desse planejamento, defina suas metas financeiras, a curto, médio e longo prazo, e estabeleça também um cronograma para acompanhá-las. 

Case: Com e-commerce B2B robusto e intuitivo da F1, Mazer Distribuidora dobra faturamento durante pandemia.

Fornecedores

Buscar e selecionar fornecedores de confiança é um passo essencial para montar seu e-commerce do zero. Para encontrar esses parceiros, faça pesquisas no mercado, em redes sociais e marketplaces, por exemplo. 

Quando tiver uma lista com suas principais opções, entre em contato para negociar os preços e prazos mais vantajosos. 

Também é importante levar em conta a qualidade do serviço e a capacidade de produção de cada um. O ideal é contar com mais de um fornecedor, para evitar possíveis imprevistos. 

Tenha em mente que, desde já, é fundamental manter um bom relacionamento com seus parceiros. Isso garante uma comunicação clara entre as duas partes e o cumprimento do que foi acordado, além de te ajudar a negociar melhores condições a longo prazo. 

Regularização do negócio

Assim como um empreendimento físico, é essencial regularizar o seu e-commerce para garantir credibilidade junto aos consumidores e segurança jurídica para fazer transações. 

O primeiro passo é ter um registro na junta comercial e um Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica (CNPJ). Para pequenos empreendedores, o registro de Microempreendedor Individual (MEI) é suficiente. 

Também é necessário regularizar o negócio em órgãos federais, estaduais e municipais de acordo com seu segmento de atuação. Um contador pode te ajudar em todos esses pontos. 

Além disso, você precisa definir o regime tributário mais adequado ao seu modelo de negócio. A maioria das lojas online que estão começando podem adotar o Simples Nacional. Como o nome indica, trata-se de um enquadramento simplificado com pesos de tributos variáveis de acordo com a média de faturamento. 

Criação da loja virtual

Com o planejamento pronto para o seu negócio, você pode passar para a criação da loja virtual em si. Conheça a seguir os principais pontos que você deve investir para estruturar e colocar no ar o seu e-commerce! 

Domínio

Como os clientes vão encontrar o seu e-commerce? O primeiro passo é escolher e registrar um domínio, ou seja, o endereço pelo qual o seu site será acessado pelos usuários na internet (ex.: www.sualojavirtual.com.br). 

O domínio é o seu nome online, ajudando a fortalecer a sua marca e permitir que ela seja facilmente encontrada no Google. Portanto, ele deve ser atrativo, curto e fácil de memorizar e de falar, evitando o uso de hífens, números e símbolos. 

Hospedagem

Com o domínio devidamente registrado, você também precisa de um espaço em um servidor para armazenar todos os arquivos e informações do seu site, mantendo o e-commerce disponível 24h por dia na rede. É o que se chama de hospedagem. 

Existem diferentes tipos de hospedagem para você escolher, dependendo das necessidades e do orçamento do seu negócio: 

  • Hospedagem compartilhada: você compartilha o espaço e os recursos de um mesmo servidor com outros sites; 
  • Virtual Private Server (VPS): você compartilha o servidor com outros usuários, mas os recursos são dedicados a cada um; 
  • Hospedagem na nuvem ou cloud server: você conta com vários servidores online conectados uns aos outros; 
  • Servidor dedicado: hospedagem exclusiva para o seu site. 

E-commerce: Como ingressar no mercado B2B através de um canal de e-commerce?

Está pensando em montar um e-commerce?

Plataforma de e-commerce

A partir da aquisição do domínio e do serviço de hospedagem, você deve selecionar uma plataforma de e-commerce. Essa escolha é muito importante, visto que a plataforma é a infraestrutura que permite todo o processo de criação e manutenção da sua loja virtual. 

Existem várias opções prontas e acessíveis para quem está começando. Analise as possibilidades e escolha a melhor para sua estratégia, de acordo com os planos, funcionalidades e suporte oferecidos. 

Alguns aspectos relevantes para se considerar na seleção da plataforma são: 

  • integrações com sistemas de gestão, redes sociais e meios de pagamento; 
  • ferramentas de SEO (Search Engine Optimization); 
  • segurança dos dados; 
  • gestão do estoque; 
  • Estabilidade. 

Layout

Com toda a infraestrutura pronta, você pode começar a organizar a sua loja. Personalize o layout, adicionando a logo e a identidade visual da empresa. Insira informações sobre o empreendimento e disponibilize os canais de atendimento da marca. 

Lembre-se também de criar categorias e cadastrar seus produtos, incluindo descrições e imagens de qualidade para cada um. 

Além disso, é importante contar com um design responsivo, ou seja, que se adapta a diferentes tamanhos de tela, e que proporcione um rápido carregamento das páginas. 

Um layout atrativo e funcional, que simplifique a navegação do usuário, facilita a jornada de compra do consumidor, contribuindo diretamente para as conversões do seu e-commerce. 

Sistema de gestão

Para simplificar o gerenciamento da sua loja no dia a dia, um ERP (Enterprise Resource Planning), também conhecido como sistema de gestão, é muito importante. 

Esse tipo de software integra dados de várias áreas do seu negócio, como vendas, logística e financeiro. Assim, todas as informações ficam centralizadas, contribuindo para a eficiência da operação e uma tomada de decisões mais assertiva. 

Existem diversas opções de ERPs especializados para e-commerce. Pesquise os principais disponíveis no mercado e compare suas funcionalidades e preços, para encontrar o mais adequado à realidade do seu negócio. 

Um ponto importante é escolher um sistema que tenha integração com a plataforma do seu e-commerce. Isso vai facilitar bastante alguns processos, como o controle de estoque e a gestão financeira da loja. 

Meios de pagamento

A experiência de compra do consumidor deve ser facilitada ao máximo. Nesse ponto, entra a importância de um bom meio de pagamento para processar as transações da sua loja. 

O ideal é escolher um sistema que ofereça os métodos de pagamento mais utilizados pelos consumidores, como cartão de crédito e boleto bancário, que tenha integração com a plataforma do seu e-commerce e que garanta a segurança de todo o processo. 

Segundo um levantamento do Baymard Institute, um checkout complicado ou longo foi apontado por 21% dos consumidores como motivo para o abandono do carrinho. Portanto, o fluxo de compra também deve ser simples, sem solicitar informações em excesso. 

Uma dica é selecionar uma tecnologia com um checkout transparente, ou seja, que mantém o usuário na mesma página, sem direcioná-lo para um site externo. Desse modo, você evita o abandono de carrinho e aumenta o número de conversões do seu e-commerce. 

Logística

Organizar a operação logística é outro passo indispensável na hora de montar um e-commerce do zero. Os prazos e valores de entrega são fatores que afetam diretamente a satisfação dos clientes. 

Dados da pesquisa do Baymard Institute mostram que a surpresa com custos extras ao final do pedido, como frete e taxas adicionais, é responsável pelo abandono de carrinho de 50% dos consumidores. 

Por isso, planeje bem a logística da sua loja e busque as melhores soluções tanto para o negócio quanto para seus clientes. Compare as taxas cobradas pelos Correios e por diferentes transportadoras, chegando à melhor combinação de frete e tempo de entrega. 

O frete grátis é um benefício muito procurado pelos consumidores, sendo uma boa estratégia para aumentar as vendas. Contudo, tome cuidado para que ele não prejudique os custos do seu negócio. 

As embalagens dos pedidos também devem ser planejadas com cuidado, para garantir a segurança e a integridade dos produtos. Além disso, lembre-se de criar e disponibilizar uma política de trocas e devoluções, bem como estruturar uma operação eficiente de logística reversa. 

Atendimento ao cliente

Oferecer um atendimento eficiente e humanizado é imprescindível para garantir a melhor experiência de compra no seu e-commerce. 

O cliente deve ter fácil acesso aos canais de comunicação da sua loja para resolver qualquer dúvida, problema ou solicitação que possa ter ao longo do processo de compra. 

Existem várias opções de canais, como redes sociais, chat online, e-mail, WhatsApp. Escolha os que fizerem mais sentido para o seu público-alvo e estabeleça os horários de atendimento da loja, buscando sempre responder o mais rápido possível. 

Essa preocupação também deve se estender ao pós-venda. Após fazer a compra, os consumidores ainda podem ter dúvidas ou problemas com seus pedidos. 

Um atendimento de qualidade nessa etapa representa um grande diferencial competitivo para o seu e-commerce, contribuindo para a fidelização dos seus clientes. 

Marketing Digital

Por fim, com a operação do seu e-commerce bem estruturada, chegou a hora de atrair os consumidores e começar a construir a sua presença online. 

Faça um bom planejamento de marketing para divulgar a sua marca, analisando as estratégias utilizadas pelos concorrentes, estudando os comportamentos do seu público-alvo e definindo as melhores ações para alcançar os seus objetivos. 

O Marketing Digital é composto por um conjunto de estratégias voltadas para promover produtos, serviços e empresas no ambiente digital, como: 

  • Redes sociais (Facebook, Instagram, TikTok etc); 
  • Marketing de Conteúdo; 
  • Otimização do site para SEO; 
  • Campanhas de e-mail marketing; 
  • Anúncios pagos em Google Ads e Facebook Ads; 

Marketing de Influência

Após dar início às suas campanhas de marketing, faça um monitoramento contínuo dos resultados alcançados. Assim, será possível otimizar suas ações, conquistando cada vez mais os clientes ideais para o seu negócio e aumentando suas vendas. 

Agora que você já sabe como montar um e-commerce do zero, está na hora de aprofundar seus conhecimentos. Entenda as principais leis que regem o comércio eletrônico e adeque sua loja à legislação! 

Fonte:
https://www.kangu.com.br/blog/como-montar-um-ecommerce/#:~:text=Como%20montar%20um%20ecommerce%20para,precisa%20ter%20para%20atrair%20consumidores
apage
Autor

1 Comentário

Escreveu um Comentário

5 + nove =